Notícias

Procuradoria realiza roda de conversa sobre as lutas e conquistas das mulheres

Article cover 37fb23aa43ec4aff

Foto: Silvio Rocha/PMA

A Procuradoria do Município e a Associação dos Procuradores de Aracaju (APMAJU) promoveram uma roda de conversa com o tema ‘Mulheres: Lutas e Conquistas', nesta segunda-feira, 13. A ação foi realizada em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, comemorado no último dia 8, e reuniu dezenas de pessoas envolvidas na causa feminista no auditório do Centro Administrativo da Prefeitura de Aracaju.

A psicóloga e mestre em Educação, Franciele Gazola, foi uma das integrantes da roda de conversa. Ela é feminista, membro do Coletivo de Mulheres de Aracaju e do Núcleo Sergipe da Associação Brasileira de Psicologia Social (Abrapso), e levou para o evento uma visão geral sobre os problemas enfrentados pela mulher na sociedade, as conquistas e desafios para a igualdade de gênero. "Percebemos que esse tipo de debate costuma acontecer só no mês de março, que é considerado o mês das mulheres, e logo em seguida ninguém fala mais disso", constata.

Também foi abordada a importância da Lei Maria da Penha e seus desafios, pelo procurador  de Justiça do MP/SE, Amilton Neves Brito Filho, e políticas públicas para as mulheres em Aracaju, por Ana Ires Lima dos Santos. A plateia formada por servidores da Procuradoria, pelo Conselho Municipal de Mulheres e diversas pessoas engajadas em lutas feministas, participou do debate apresentando opiniões e questionamentos.

Foto: Divulgação/APMAJU

"Essa é uma oportunidade de envolvimento dos procuradores e da Associação com a sociedade aracajuana. Neste mês, especialmente, foram feitas várias ações nos órgãos de Aracaju para divulgar a participação feminina e prestigiar a mulher no seu ambiente de trabalho. Faço parte do Conselho Municipal de Mulheres que se mantém sempre ativo nas lutas feministas, composto por membros de vários órgãos e convidados externos", afirma a procuradora municipal e mediadora do debate, Taísa Oliveira.

"Os grupos vulneráveis estão extremamente afetados por essa sociedade violenta e intolerante. Do nosso ponto de vista, atacamos o machismo com uma crítica à sociedade. É uma crítica ampla, de que nessa sociedade tem que ter uma redistribuição de poder, que vem com uma distribuição de riquezas. Se não temos isso, o controle dos problemas será através da violência", explica Franciele.

De acordo com o representante da procuradoria e subprocurador geral, Thiago Carneiro, essa roda de conversa é a primeira de muitas que serão realizadas com temas considerados relevantes para a população em geral. "Queremos trazer um esclarecimento para que a sociedade aprenda sobre a luta das mulheres a sua importância para o próprio ambiente de trabalho. Essa é uma responsabilidade cultural que a procuradoria tem com a sociedade", afirma.

Foto: Silvio Rocha/PMA

Segundo Matheus Brito Meira, presidente da APMAJU, o objetivo da roda de conversa é gerar reflexões e buscar melhorias efetivas, sobretudo através de políticas públicas, sobre o que a mulher ainda está passando, mesmo após 160 anos de instituído o Dia Internacional da Mulher. "É sempre muito bom poder participar e contribuir com debates nesse sentido", acrescenta.

Na oportunidade, a Procuradoria e a APMAJU realizaram uma homenagem Priscila Sobral Freitas, a primeira transexual de Aracaju em 2010 e servidora da Emurb há 20 anos, em reconhecimento à sua importância como agente de transformação social no ambiente de trabalho e pelo legado que vem construindo no município de Aracaju. "Continuo na luta pela igualdade, pelo fim da intolerância e me sinto lisonjeada com a homenagem, que representa uma continuidade do reconhecimento da mulher. Trazer o tema transgêneros, por exemplo, é uma oportunidade de abranger o conhecimento de todos", ressalta.

 

 

Fonte: PMA